terça-feira, 1 de abril de 2008

Um pouco sobre a história dos Diamantes de Gould


(continuação)

Estas aves gozavam (ou gozam) de uma reputação de criação difícil, em parte porque as fêmeas costumavam abandonar a ninhada prematuramente. No entanto, como muitos criadores desejam ter descendência destas aves utilizam normalmente as amas (Bengalins do Japão) para chocar e criar as crias dos Diamantes.

De um modo geral com este método tem-se tido muito sucesso, sendo no entanto preferível que sejam os próprios progenitores a fazê-lo.

São utilizados ninhos em madeira rectangular, semi aberta para a criação, para a confecção do ninho usa-se uma mistura que se encontra no comércio que é muito macia e muito apreciada pelas aves.

Normalmente a postura é de 4 a 8 ovos, onde as crias nascem após 14 dias, mais ou menos. A plumagem surge ao fim de pouco mais de três semanas. Em condições normais, as aves adquirem a plumagem definitiva após três a quatro meses, embora possa demorar mais.

Há muitas mutações de Diamantes de Gould: cabeça preta, cinza, vermelha, laranja e camurça, quanto ao peito há: Lilás, branco e creme, finalmente o corpo: Amarelo, azul, branco, pasteis, verdes, podendo ainda assim existir ainda alguma mutação não citada neste texto.

1 comentário:

Agosto disse...

Lamento deixar esta mensagem caro Eduardo mas acabei de ser informado pela direcção do COG que o Arlequim Portugues não foi homolgado pela C.O.M..